Histórico

De acordo com testemunho oral de pessoas contemporâneas, o povoado Paquetá teve sua origem com uma capela em homenagem à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, ora construída em um terreno da Prefeitura Municipal de Picos, na fazenda Canabrava, outrora pertencente a tradicional família Sousa Martins, em que mais tarde se tornou condomínio o Visconde da Parnaíba, Manoel de Sousa Martina.

No discurso dos primeiros anos da década de 1930, o Sr. Genésio Custódio de Lima lançou uma ideia maravilhosa no sentido de edificar uma capela à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro no supradito lugar Paquetá, assim já vulgarmente conhecida pelos respectivos proprietários e vizinhos. Ele próprio se encarregou de angariar donativos populares e de administrar os trabalhos de construção, tendo por mestre de obras ou pedreiro principal o Sr. Antônio Holanda, conhecido por Holandinho, por sinal um dos melhores construtores da época existentes na vizinhança.

A esta altura, em 1937, como de fato, foi a dita capela consagrada a Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, em caráter pública e doada para a Paróquia de Nossa Senhora dos Remédios de Picos ensejo em que houve uma missa celebrada pelo padre José Zimmarmann, vigário da vizinhança, freguesia de Jaicós e respondendo pela freguesia de Picos.

A principio não se tinha uma data certa para comemorar a festa da padroeira, contudo, posteriormente, os moradores locais reivindicaram ao vigário uma data fixa no ano, mesmo assim, sob alegações diversas, o vigário só visitava a capela a titulo precário, uma vez ou duas por ano, apesar da presença maciça de uma população cristã católica. Nem por isso havia sensibilidade.

O povoado de Paquetá se desenvolveu em um centro isolado com difícil comunicação para a cidade de Picos, sede do município velho, haja a inexistência de estradas confortáveis ate mesmo para as localidades mais próximas. E, embora situada em uma região agricultável e de pecuária fértil, sentia a ausência do Poder Público nos diversos sentidos, como duvida um motivo de um lento progresso.

O povoado Paquetá por influência oportuna de nossos militantes da politica atendendo também a uma aspiração geral e por fim, através da Lei Estadual nº 4680 de 26 de janeiro de 1994, foi elevada a categoria de cidade, com o nome de Paquetá do Piauí, abrangendo o território de mais algumas fazendas tudo desmembrado do município velho de Picos, formando deste modo a área do novo município.

Gentílico

Os habitantes se chamam Paquetaenses.

Brasão

O Nosso município ainda não possui um brasão. Estamos providenciando e logo estaremos enviando.

Bandeira

Estamos providenciando

Formação Administrativa

Foi elevada a categoria de cidade, com o nome de Paquetá do Piauí, no dia de 26 de janeiro de 1994, através da através da Lei Estadual nº 4680. Sofreu desmembramento do município velho de Picos

Pontos Turísticos
  • Riacho Sucavão – Localizada no interior da cidade de Paquetá. Águas de colorações variadas, passam por dentro de paredões que lembram cânions.
  • Igreja de Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Datada de 1937.
  • Lagoa – 31 de março de 2018.
  • Haras Tamarindos - Local de eventos durante festa do vaqueiro.
  • Custaneira – Povoado

Veja as fotos dos pontos turísticos

Festas e Eventos
  • Aniversário da Cidade – 26 de Janeiro
  • Festa do Vaqueiro – 26 de Janeiro
  • Festa Junina – Mês de Junho

Veja as fotos das festas e eventos

Mais Informações

O município se estende por 448,5 km² e contava com 4 147 habitantes no último censo. A densidade demográfica é de 9,2 habitantes por km² no território do município. Vizinho dos municípios de Santa Cruz do Piauí, Dom Expedito Lopes e Geminiano, Paquetá se situa a 25 km a Sul-Oeste de Picos a maior cidade nos arredores. Situado a 324 metros de altitude, de Paquetá tem as seguintes coordenadas geográficas: Latitude: 7° 6' 38'' Sul, Longitude: 41° 41' 50'' Oeste. O atual prefeito de Paquetá se chama Thales Coelho Pimentel.

Para todas as formalidades administrativas, você pode ir à prefeitura de Paquetá Av Filomena Portela, 820.

Facebook
Instagram